6 de novembro de 2017

Gritos do Passado - Camilla Läckberg - Patrik Hedström # 2


Em uma manhã do início do verão, um garoto sai para brincar na praia, na cidade de Fjällbacka. Porém, suas brincadeiras são interrompidas de maneira abrupta quando ele encontra o cadáver de uma jovem nua. A polícia é chamada à cena e não demora muito para concluir que a mulher fora assassinada. O mistério aumenta quando os policiais descobrem que embaixo do corpo da mulher foram colocados esqueletos de outras duas jovens dadas como desaparecidas desde o final dos anos 1970.

Para juntar as peças desse quebra-cabeça, o policial Patrik Hedström é designado como chefe da investigação, o que o obriga a abandonar suas férias e sua esposa, Erica Falck, grávida de seu primeiro filho.

Erica, porém, não consegue ficar sem se envolver e, mesmo nas últimas semanas de gravidez, decide ajudar Patrik pesquisando informações na biblioteca local. A partir daí, novas revelações começam a dar forma à investigação: os esqueletos podem ser de duas jovens desaparecidas há mais de vinte anos. Descobertas que trazem à tona antigos conflitos da família Hult, cujo patriarca, o pastor protestante Ephraim, mobilizava multidões de fiéis em seus cultos acompanhado dos dois filhos, Gabriel e Johannes, dotados de poderes de cura. Na época, um misterioso suicídio, ligado ao desaparecimento de uma das jovens, dividiu a família em duas ramificações que agora, diante das novas revelações, terão de lidar com feridas que ainda sangram.

RESENHA:
06/11/2017

Excelente!
Não conhecia a autora mas há tempos tinha seus livros na minha meta de leitura e quis começar pelo primeiro, ao contrário da maioria das séries que pego quase sempre pela metade, mas por engano peguei esse que é o segundo volume.
Eu realmente esperava algo bom, a sinopse me atraiu muito e vi as classificações bem positivas à respeito dele no Skoob e não me decepcionei. A estória é bem escrita e bem desenvolvida.
À princípio a quantidade de personagens me confundiu um pouco, mas depois que me familiarizei com eles tudo se desenvolveu mais fácil.

A estória de passa em 2003 em Fjällbacka, uma cidade da Suécia. 
Quando o corpo de uma jovem é encontrado em cima de outros dois esqueletos da década de 70, a polícia tem em mãos um crime bem complicado de se resolver.
As primeiras duas garotas eram dadas como desaparecidas e seu suposto assassino na época havia cometido suicídio.
Após as primeiras investigações contatou-se que a jovem encontrada tinha os mesmos ferimentos que as outras duas e os policiais percebem que não se trata de uma coincidência. Ou seja, o crimes estão ligados.
Agora muitas outras perguntas vão surgir e as investigações vão se complicando cada vez mais.
Qualquer novidade no caso acaba sempre caindo no mesmo lugar: A família Hult. Uma família que foi destruída no passado e agora com esse novo crime se vê novamente na mira de uma investigação.

A narrativa em terceira pessoa é bem desenvolvida e sem detalhes excessivos. A cada momento surge uma nova pista então a autora mantêm o suspense até as últimas páginas.
Apesar de ter não ficado surpresa com o culpado, não consegui imaginar o desfecho e nem a motivação dele. E o que eu mais gostei nessa estória foi o tipo de perfil que a autora criou para o personagem.
A única coisa que me incomodou durante a leitura é que os diálogos são entre aspas e não consigo me acostumar com isso. Do resto, super indico esse suspense policial bem envolvente e que destaca também o lado psicológico dos personagens.
Vou ler os outros da autora com certeza!
5 estrelinhas pra ele ★


Nenhum comentário:

Postar um comentário