F Achei o Livro, perdi o Sono.

20 de setembro de 2016

Tragédia em três atos - Agatha Christie


Na bucólica casa de praia do famoso ator Sir Charles Cartwright, um jantar entre amigos toma um rumo surpreendente. Entre os convidados, um homenzinho de bigode e olhar perspicaz chamado Hercule Poirot...
A possibilidade de um assassinato paira no ar e assusta os demais convivas – entre os quais, o sr. Satterthwaite, amigo de longa data que convencerá o detetive belga a embarcar em uma investigação minuciosa. Poirot precisará usar toda a sua habilidade para desvendar o mais desconcertante mistério envolvendo um crime: a falta de um motivo.

"É quase impossível adivinhar o final antes de Hercule Poirot fazer a grande revelação” - The Times Literary Supplement

Resenha:
20/09/2016

Leitura incrível!
Confesso que no começo foi difícil. Os nomes são complicados e alguns até meio parecidos, então foi difícil de lembrar e entender quem é que estava falando com quem. Acabei por fazer uma lista com os nomes - e suas profissões - e usei como marcador de página.
Assim que você se familiariza com os personagens a estória fica mais tranquila e mais fácil de ser compreendida.
Ele só não entrou para os meus favoritos dela por que Poirot aparece só depois da metade do livro, só por isso.
O livro tem 255 páginas e é dividido em três atos: Primeiro Ato: Suspeita, Segundo Ato: Certeza, Terceiro Ato: Descoberta.
Poirot aparece no terceiro ato, e apesar dele ter aparecido logo no começo da estória e estar presente no primeiro crime, ele não faz parte das investigações que ficaram por conta de outros 3 personagens e isso me deixou um pouco insatisfeita. 
Mesmo assim a estória é excelente e te prende demais. Mais uma vez mostra a genialidade do detetive e sua incrível capacidade de raciocínio.

Acompanhando as investigações com um excesso de atenção, já percebi quem era o(a) assassino(a) logo no começo.
Nada me tirava da cabeça que era essa pessoa e exatamente por isso prestei muito mais atenção ao comportamento dela. Fiquei deliciada em saber que estava certa.
Mas lógico que nem suspeitei do motivo, sem chance! E isso torna tudo mais divertido e curioso por que nas últimas páginas você devora cada palavra, o momento em que Poirot faz seu show e apresenta à todos a pessoa culpada e seus motivos, é o ápice da leitura.
Nos livros da Agatha eu sempre desconfio de absolutamente todo mundo, mas nesse eu descartei pelo menos uns 4 personagens. Não conseguia encaixá-los na estória cometendo um crime.
A falta de motivo, a falta de provas e nenhuma suspeita de como os crimes foram cometidos foi um dos livros mais difíceis dela que já li.
Super recomendo essa leitura muito envolvente e bem tramada.


8 de setembro de 2016

Hora Zero - Agatha Christie


Qual é a conexão entre uma fracassada tentativa de suicídio, uma injusta acusação de roubo contra uma estudante e a vida romântica de um famoso jogador de tênis? Para o observador comum, aparentemente nenhuma. Mas um encontro familiar em Gull’s Point, a casa de veraneio de uma viúva, traz antigos ressentimentos à tona e provoca um desfecho dramático. É aí que entra em cena o superintendente Battle,o astuto oficial da Scotland Yard que casualmente passava as férias nas proximidades.
Hora zero marca a última aparição de Battle nos romances de Agatha Christie, que reservou para ele uma despedida triunfante.

RESENHA:
08/09/2016

Excelente livro!
Mais uma obra da dama que entrou pra minha lista de favoritos.

Já começa com alguns mistérios, algumas situações fora do comum que não tem nada a ver com a estória principal, mas que no final farão toda a diferença.
É um livro delicioso de se ler por que não há enrolação. As situações são colocadas páginas após páginas, deixando o leitor cada vez mais curioso e confuso.

Aparentemente um triângulo amoroso, crises familiares, fatos que ocorreram num passado distante... agora todas essas pessoas reunidas numa casa para passar as férias e um crime ocorre. 
Até então ninguém cogita se tratar de um crime, mas então um segundo acontece.
O que teria motivado essas mortes? Dinheiro? Ciúmes? Vingança?
Aqui você imagina de tudo, desconfia de todos mas muda de opinião a cada capítulo, a cada nova informação dada pela autora.
Destaque para o superintendente Batle que se destacou nessa missão. Foi brilhante nas investigações sem se precipitar nas decisões. 
O assassino em si não me surpreendeu, porém todo o processo que o levou a fazer isso, suas artimanhas, sua maneira dissimulada e metódica foram incríveis. Como somente a Agatha Christie pode fazer.

Apesar de ter sentido falta de Poirot no início, depois me habituei com o ritmo da leitura, na maneira como a Agatha fez Batle conduzir as investigações e fiquei com a impressão que ele aprendeu muito com nosso detetive.
As últimas páginas - depois da revelação d@ assassin@ - eu não curti muito, achei desnecessária e meio forçada. Mas isso não mudou minha opinião sobre o livro. 
O conjunto da obra é digno de nota máxima!



30 de agosto de 2016

No Escuro - Elizabeth Haynes


Catherine aproveitou a vida de solteira por tempo suficiente para reconhecer um excelente partido quando o encontra: lindo, carismático, espontâneo... Lee parece bom demais para ser verdade. Suas amigas concordam plenamente e, uma por uma, todas se deixam conquistar por ele.

Com o tempo, porém, o homem louro de olhos azuis, que parece o sonho de qualquer mulher, revela-se extremamente controlador e faz com que Catherine se sinta isolada. Amedrontada pelo jeito cada vez mais estranho de Lee, Catherine tenta terminar o relacionamento, mas, ao pedir ajuda aos amigos, descobre que ninguém acredita nela. Sentindo-se no escuro, ela planeja meticulosamente como escapar dele.

Quatro anos mais tarde, Lee está na prisão e Catherine, agora Cathy, tenta reconstruir a vida em outra cidade. Apesar de seu corpo estar curado, ela tornou-se uma pessoa bastante diferente. Obsessivo-compulsiva, vive com medo e insegura. Seu novo vizinho, Stuart Richardson, a incentiva a enfrentar seus temores. Com sua ajuda, Cathy começar a acreditar que ainda exista a chance de uma vida normal. Até que um telefonema inesperado muda tudo.

Ousado e poderoso, convincente ao extremo em seu retrato da obsessão, No escuro é um thriller arrebatador.

RESENHA:
30/08/2016

Esse livro está há muito tempo na minha lista e esse mês resolvi enfim tirá-lo da meta da leitura.
Eu já tinha lido um outro livro dessa autora - Restos Humanos - e gostei bastante da maneira como ela escreve, sem rodeios.

Aqui o livro se divide em dois tempos: No ano de 2003 quando Cathy é uma jovem que sai todas as noites para beber e se divertir com amigos e em 2008, tempos atuais, onde ela em nada lembra aquela moça alegre.

Os capítulos são curtos e intercalam desde o começo quando ela conhece Lee, um segurança de boate alto, lindo de olhos azuis que faz as amigas suspirarem por ele.
Mas aos poucos essa paixão dele começa a sufocá-la com muitas imposições e ciúmes e quando ela decide abandoná-lo, sua vida vira um inferno.
Aos poucos a autora vai relatando o relacionamento doentio do casal até chegar no ápice.


22 de agosto de 2016

As Gêmeas do Gelo - S.K. Tremayne


Um ano depois de Lydia, uma de suas filhas gêmeas idênticas, morrer em um acidente, Angus e Sarah Moorcroft se mudam para a pequena ilha escocesa que Angus herdou da avó, na esperança de conseguirem juntar os pedaços de suas vidas destroçadas. Mas quando sua filha sobrevivente, Kirstie, afirma que eles estão confundindo a sua identidade — que ela é, na verdade, Lydia — o mundo deles desaba mais uma vez. Quando uma violenta tempestade deixa Sarah e Kirstie (ou será Lydia?) confinadas naquela ilha, a mãe é torturada pelo passado — o que realmente aconteceu naquele dia fatídico, em que uma de suas filhas morreu?'

RESENHA:
22/08/2016

Com um resumo desses, como poderia deixar de ler esse livro? Só acho que deveria ter lido antes, perdi muito tempo deixando ele na fila!

Os capítulos são intercalados pela narrativa em primeira pessoa de Sarah, e em terceira pessoa pela perspectiva de Angus. 
Assim, você fica conhecendo a mesma estória por pontos de vista diferentes e acaba ficando confuso e ansioso pra saber quem está mentindo ou omitindo algo.

A relação do casal já está bem fragilizada após esses 14 meses do falecimento de uma das filhas e a esperança deles é que uma vez instalados na ilha e ocupados com a reforma do local, possam sair dessa situação que os sufoca e quem sabe voltar a viver em paz.
Mas acontece o contrário e após alguns dias na ilha os momentos de perturbação imperam na vida deles.

Logo nas primeiras páginas o autor te amarra e fica impossível largar o livro. A cada momento algo novo está acontecendo, situações sutis às vezes, mas tensas ao ponto de você criar mil finais diferentes, de ter mil ideias na cabeça.
É muito, muito tenso!


20 de agosto de 2016

Manhã de Núpcias - Lisa Kleypas - Os Hathaways 4


Quando herdou o título de lorde Ramsay, Leo Hathaway e sua família passavam por um dos momentos mais difíceis de sua vida. Mas agora as coisas vão bem. Três de suas quatro irmãs já estão casadas, uma preocupação que Leo nunca teve consigo mesmo. Solteiro inveterado, ele tem uma certeza na vida: nunca se casará.
Mas então a família recebe uma carta que pode pôr tudo isso em risco: se Leo não arrumar uma esposa e gerar um herdeiro dentro de um ano, ele perderá o título e a propriedade onde todos vivem.
Solteira e sem pretendentes, a governanta Catherine Marks talvez seja a única salvação da família que a acolheu com tanto carinho. O único problema é que Leo não compartilha do mesmo afeto que suas irmãs têm pela moça.
Para ele, Catherine é uma megerazinha cheia de opinião que fala demais. Apesar de irritá-lo e quase o levar à loucura, ela é a primeira e única mulher com quem ele considera se casar.
Catherine, por sua vez, tem uma opinião igualmente negativa a respeito do patrão. Além disso, ela esconde alguns segredos do passado e um deles pode destruir a vida que tão cuidadosamente construiu para si.
Agora Leo e Catherine precisam um do outro, mas para vencer as dificuldades e consertar as coisas eles terão que superar as turras e as diferenças, num romance intenso e sensual que só Lisa Kleypas poderia ter escrito.

RESENHA:
19/08/2016

Esperei muito pra ler esse livro por causa das mudanças bem significativas pelas quais o Leo passou desde o primeiro livro da série.
Confesso que eu o odiava no primeiro livro e já fiz resenha sobre, mas comecei a sentir uma simpatia por ele no segundo livro, onde a Cat já aparece e rende ótimas situações.
No terceiro livro, as farpas trocadas por eles foram mais frequentes e me conquistaram definitivamente, proporcionando momentos de muita diversão em meio a estória da Poppy e do Harry, dando uma quebrada na tensão.