F Achei o Livro, perdi o Sono...

22 de agosto de 2016

As Gêmeas do Gelo - S.K. Tremayne


Um ano depois de Lydia, uma de suas filhas gêmeas idênticas, morrer em um acidente, Angus e Sarah Moorcroft se mudam para a pequena ilha escocesa que Angus herdou da avó, na esperança de conseguirem juntar os pedaços de suas vidas destroçadas. Mas quando sua filha sobrevivente, Kirstie, afirma que eles estão confundindo a sua identidade — que ela é, na verdade, Lydia — o mundo deles desaba mais uma vez. Quando uma violenta tempestade deixa Sarah e Kirstie (ou será Lydia?) confinadas naquela ilha, a mãe é torturada pelo passado — o que realmente aconteceu naquele dia fatídico, em que uma de suas filhas morreu?'

RESENHA:
22/08/2016

Com um resumo desses, como poderia deixar de ler esse livro? Só acho que deveria ter lido antes, perdi muito tempo deixando ele na fila!

Os capítulos são intercalados pela narrativa em primeira pessoa de Sarah, e em terceira pessoa pela perspectiva de Angus. 
Assim, você fica conhecendo a mesma estória por pontos de vista diferentes e acaba ficando confuso e ansioso pra saber quem está mentindo ou omitindo algo.

A relação do casal já está bem fragilizada após esses 14 meses do falecimento de uma das filhas e a esperança deles é que uma vez instalados na ilha e ocupados com a reforma do local, possam sair dessa situação que os sufoca e quem sabe voltar a viver em paz.
Mas acontece o contrário e após alguns dias na ilha os momentos de perturbação imperam na vida deles.

Logo nas primeiras páginas o autor te amarra e fica impossível largar o livro. A cada momento algo novo está acontecendo, situações sutis às vezes, mas tensas ao ponto de você criar mil finais diferentes, de ter mil ideias na cabeça.
É muito, muito tenso!
As narrativas da mãe é mais frequente no livro e você consegue sentir o desespero dela pra entender o que se passa com a filha... é muito agoniante. 
Porém o casal me deu nos nervos. A falta de diálogos entre eles chega ao ponto de você querer entrar na estória e mandar os dois pra um terapeuta familiar.
A mãe consegue ser ainda pior na minha opinião, pois vê o sofrimento da filha dia a dia e se abstêm de fazer perguntas pra saber o que realmente está acontecendo, preferindo se precipitar e formar suas próprias opiniões.

Com o passar do livro a tensão aumenta e você não sabe em qual dos pais confiar, já que os dois têm segredos.
Tudo no livro ajuda: o enredo tenso, o clima frio e chuvoso, local ermo, pessoas que escondem segredos umas das outras, e claro o suspense criado em cima das duas meninas.
O final não foi impactante mas gostei mesmo assim. O autor não criou nada mirabolante e complicado que talvez pudesse ter estragado o livro.
E mesmo que não tivesse gostado tanto do final, ainda assim daria nota máxima pois o suspense presente no livro todo faz merecer a nota ;-)
Amei o livro, super recomendo e já está na lista dos melhores do ano!

20 de agosto de 2016

Manhã de Núpcias - Lisa Kleypas - Os Hathaways 4


Quando herdou o título de lorde Ramsay, Leo Hathaway e sua família passavam por um dos momentos mais difíceis de sua vida. Mas agora as coisas vão bem. Três de suas quatro irmãs já estão casadas, uma preocupação que Leo nunca teve consigo mesmo. Solteiro inveterado, ele tem uma certeza na vida: nunca se casará.
Mas então a família recebe uma carta que pode pôr tudo isso em risco: se Leo não arrumar uma esposa e gerar um herdeiro dentro de um ano, ele perderá o título e a propriedade onde todos vivem.
Solteira e sem pretendentes, a governanta Catherine Marks talvez seja a única salvação da família que a acolheu com tanto carinho. O único problema é que Leo não compartilha do mesmo afeto que suas irmãs têm pela moça.
Para ele, Catherine é uma megerazinha cheia de opinião que fala demais. Apesar de irritá-lo e quase o levar à loucura, ela é a primeira e única mulher com quem ele considera se casar.
Catherine, por sua vez, tem uma opinião igualmente negativa a respeito do patrão. Além disso, ela esconde alguns segredos do passado e um deles pode destruir a vida que tão cuidadosamente construiu para si.
Agora Leo e Catherine precisam um do outro, mas para vencer as dificuldades e consertar as coisas eles terão que superar as turras e as diferenças, num romance intenso e sensual que só Lisa Kleypas poderia ter escrito.

RESENHA:
19/08/2016

Esperei muito pra ler esse livro por causa das mudanças bem significativas pelas quais o Leo passou desde o primeiro livro da série.
Confesso que eu o odiava no primeiro livro e já fiz resenha sobre, mas comecei a sentir uma simpatia por ele no segundo livro, onde a Cat já aparece e rende ótimas situações.
No terceiro livro, as farpas trocadas por eles foram mais frequentes e me conquistaram definitivamente, proporcionando momentos de muita diversão em meio a estória da Poppy e do Harry, dando uma quebrada na tensão.
Mas aí acontece que deu uma esfriada. Parece que toda aquela tensão que faziam os dois discutirem o tempo todo ficaram lá atrás.
Logo que o Leo mostra algum interesse por ela e deixa de persegui-la soltando farpas, a estória deu uma estabilizada.
Eu não saberia dizer se foi por ter lido os dois livros um logo após o outro, que acabei comparando as duas estórias, ou se a outra estória foi tão melhor por ter sido pontuada pelas divergências desses dois.
Só sei que chegou uma hora que a srta. Marks me cansou com sua resistência e ao invés de ficar interessante, tornou-se uma "malinha".
Isso não quer dizer que não gostei do livro, foi uma boa estória. Toda a carga do passado dela foi um diferencial aqui já que conhecíamos tudo sobre Leo, então aí nenhuma novidade.
Mas ainda achei que faltou algo, não meu deu aquela ânsia de devorar os capítulos seguintes pois dava pra perceber que esse romance não iria sofrer grandes reviravoltas.
Sem contar que eu virei fã da doninha Dogger, um fofo ♥
Recomendo a leitura, claro, mas acho importante que leiam o anterior para já pegar um dos melhores momentos do casal.

16 de agosto de 2016

Você Está Sendo Vigiado - Gregg Hurwitz


Patrick Davis tinha um sonho: ver seu nome nos créditos de um filme. Mas não imaginava o preço que teria de pagar por isso. Logo depois de vender seu primeiro roteiro a um estúdio, sua vida entra em colapso. Ele não consegue se firmar como roteirista de Hollywood e, para piorar, seu casamento mergulha numa crise.Misteriosamente, Patrick passa a receber DVDs com gravações dele e da esposa dentro de casa. Após descobrir câmeras escondidas, o casal procura a polícia. Dias depois começam as ligações e os e-mails anônimos propondo um acordo para que tudo volte ao normal. Desesperado, ele não hesita em aceitar a oferta.Mas sua decisão se revela um erro. Logo ele se vê envolvido numa rede de intrigas que pode custar sua vida e a das pessoas que ama. Cada vez mais acuado, Patrick percebe que só há uma saída: superar seus inimigos ocultos no próprio jogo deles.Eletrizante da primeira à última página, Você está sendo vigiado foi um enorme sucesso de crítica nos Estados Unidos, fazendo com que Gregg Hurwitz fosse apontado como uma das revelações do suspense, comparado a grandes mestres do gênero, como Harlan Coben.

RESENHA:
16/08/2016

Falar além do que já está na sinopse é perigoso dar spoilers então só vou comentar o que achei desse livro.
Só 'lembra' um livro do Harlan pelo ritmo narrado em primeira pessoa. Onde o personagem corre muito risco de vida, revolvendo tudo sem ajuda de policiais e vivendo momentos de muita tensão. Fora isso não dá pra compará-lo!

Patrick foi um cara muito azarado aqui... praticamente acontecia com ele tudo que não podia.
Sem poder confiar em muita gente, ele tenta resolver à sua maneira enquanto seu casamento passa por uma crise. Mas gostei da maneira como a mulher dele participa da estória sem ficar aquela lavação de roupa suja.
Não vou dizer que achei o livro incrível por que muitas situações foram bem forçadas na minha opinião, coisas que dificilmente (ou nunca) aconteceria na vida real. Mesmo se tratando de uma obra de ficção deveria ter sido mais verossímil, mas enfim.
O ritmo acelerado te deixa presa na estória, mas teve momentos que me irritou por que não acabava nunca!
Socorro! Estava quase pulando pro final pra ver como ele iria sair dessa!
O personagem é muito inocente, chega a ser bobo até! Ele poderia ter evitado tudo que aconteceu.
Desconfiei de meio mundo mas nunca imaginaria o que aconteceu e o por quê, mas não foi um final surpreendente pois o personagem foi descobrindo a trama aos poucos e não tudo nas últimas páginas.
Depois que terminei fiquei com a sensação de que ficou pontas soltas, que alguma coisa está faltando ser explicada.
Mas gostei do livro e recomendo para quem curte o estilo conspiração.

10 de agosto de 2016

Tentação ao Pôr do Sol - Lisa Kleypas - Os Hathaways 3


Poppy Hathaway está em Londres para sua terceira temporada de eventos sociais. Como nos dois anos anteriores, ela se hospedou com a família no hotel Rutledge. E, como nos dois anos anteriores, tudo indica que retornará a Hampshire sem ter encontrado um pretendente com quem se casar.
Apesar de ser extremamente bonita e gentil, Poppy tem duas grandes desvantagens em relação às outras moças: sua inteligência deixa muitos homens acuados e o fato de vir de uma família tão pouco convencional faz com que os melhores partidos nem sequer a abordem.
Mas o destino a coloca no caminho de Harry Rutledge, um homem de passado triste, que venceu na vida por conta própria e aprendeu a encarar tudo como um negócio. O dono do hotel não ama ninguém, confia em poucos e manipula todos. Porém, mesmo sendo tudo o que Poppy nunca almejou, ela não pode negar o fascínio que sente por ele.
Quando Harry conhece Poppy, é tomado pelo desejo. Ele imediatamente tem a certeza de que a jovem será sua e, para o bem ou para o mal, não mede esforços para que isso aconteça.
Mas fascínio e desejo não serão suficientes para construir sua história, sobretudo quando uma traição põe em jogo as bases do relacionamento. Agora, é entre quatro paredes que eles tentarão resolver problemas e anular diferenças, num romance sensual em que seu futuro juntos pode mudar a cada toque, cada encontro, cada descoberta.

RESENHA:
10/08/2016

Meus Deus! Que livro é esse?
Fiquei completamente apaixonada por essa estória, superando a primeira na minha opinião.
Peguei pra ler por que já tinha comprado há muito tempo e precisava tirar logo da meta de leitura, mas não dava muito por ele. Agora acho que vai ser difícil outro histórico me arrebatar dessa maneira.
Eu bati meu record e o li em menos de 1 dia por que não conseguia largar o livro por nada!
Ele é divertido e cheio de cenas deliciosas. 

"Eu deveria tê-lo posto em seu devido lugar... com uma bofetada ou alguma coisa assim... Qual é a reação habitual das mulheres com quem toma liberdades?
– Elas me encorajam a fazer tudo de novo? – sugeriu Harry tão prontamente que Poppy não conseguiu deixar de sorrir. " ...

Poppy está apaixonada por Michael Bayning, um jovem rico herdeiro, mas seu pai jamais permitiria que eles se casassem por ela ser de uma classe inferior.
Ela é doce e determinada, uma protagonista como poucas.
Em meio a indecisão de Michael se foge e é deserdado, ou fica com o título mas sem a mulher que ama, Harry age rapidamente para não perder a única mulher que mexeu realmente com ele.
O mocinho tem tudo pra ser vilão mas eu não consegui odiá-lo nem mesmo quando ele se comportava de maneira inescrupulosa. E apesar do modo nada convencional com que ele consegue se casar com ela, eu ainda assim torci por ele, por eles!

Algumas situações como a cena anterior ao casamento foram o ápice da leitura, sem contar os momentos entre Leo e a senhorita Marks que me deixaram com um sorriso no rosto. O irmão dos Hathaways está cada vez melhor.

" Os olhos dela ficaram mais estreitos.
– E por que eu iria querer atrair um homem? Ainda não descobri qual é a utilidade deles.
– Bem, mesmo que não tenhamos nenhuma outra, vocês precisam de nós para produzir mais mulheres. " ...

A autora presenteia o leitor a cada página, a cada capítulo. Esse já é um dos melhores livros do ano, sem dúvida. 
E o final.... ahhh aquele final..... só deixou com mais vontade de ler a sequência.
Claro que recomendo e eu vou ficar aqui, com uma baita ressaca literária ❤

9 de agosto de 2016

Pequenas Grandes Mentiras - Liane Moriarty


Com muita bebida e pouca comida, o encontro de pais dos alunos da Escola Pirriwee tem tudo para dar errado. Fantasiados de Audrey Hepburn e Elvis, os adultos começam a discutir já no portão de entrada, e, da varanda onde um pequeno grupo se juntou, alguém cai e morre.
Quem morreu? Foi acidente? Se foi homicídio, quem matou?
Pequenas grandes mentiras conta a história de três mulheres, cada uma delas diante de uma encruzilhada.
Madeline é forte e decidida. No segundo casamento, está muito chateada porque a filha do primeiro relacionamento quer morar com o pai e a jovem madrasta. Não bastasse isso, Skye, a filha do ex-marido com a nova mulher, está matriculada no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline.
Celeste, mãe dos gêmeos Max e Josh, é uma mulher invejável. É magra, rica e bonita, e seu casamento com Perry parece perfeito demais para ser verdade.
Celeste e Madeleine ficam amigas de Jane, a jovem mãe solteira que se mudou para a cidade com o filho, Ziggy, fruto de uma noite malsucedida.
Quando Ziggy é acusado de bullying, as opiniões dos pais se dividem. As tensões nos pequenos grupos de mães vão aumentando até o fatídico dia em que alguém cai da varanda da escola e morre. Pais e professores têm impressões frequentemente contraditórias e a verdade fica difícil de ser alcançada.
Ao colocar em cena ex-maridos e segundas esposas, mãe e filhas, violência e escândalos familiares, Liane Moriarty escreveu um livro viciante, inteligente e bem-humorado, com observações perspicazes sobre a natureza humana.

RESENHA:
09/08/2016

Sabe quando você julga um livro pela capa? Esse foi o contrário... sempre deixei passar justamente por que a capa não me atraía em nada. Por isso o ditado "não julgar o livro pela capa" é muito verdadeiro.
Esse livro é ótimo! Esse resumo acima já fala tudo então não vou me estender sobre isso.
Aqui você vai encontrar um pouco de tudo: Romance, Drama, Suspense e situações engraçadas por parte de Madeline.

O livro começa de trás pra frente. Logo no início alguém morre, você não sabe quem e nem como, então a autora começa a contar a estória cinco meses antes até chegar na noite fatídica.
Os capítulos se alternam entre as três personagens principais e alguns fatos são contatos sob pontos de vista diferentes.
Apesar da morte ser a trama principal não é um livro pesado e nem gira em torno disso. Tem muitos acontecimentos por parte de cada um, muitas mentiras (grandes e pequenas) e conforme a leitura vai avançando, essas situações vão ficando mais tensas.

Não foi só a curiosidade sobre quem seria a vítima fatal que me manteve ansiosa, mas o livro como um todo.  Como cada uma das personagens iria se sair dessas situações em que elas se encontravam. 
Mesmo sendo grandes amigas, nem tudo elas compartilham uma com as outras.
Vários temas são abordados como bulling, traição, violência doméstica e tem muita, mas muita fofoca por parte das mães do colégio. 
A maneira como esses temas foram abordados pela autora foi de um modo bem realista, com diálogos bem formados e narrativa ágil.
O final mais esperado sobre uma das personagens não me surpreendeu. Foi exatamente como imaginei que seria, mas isso não é um ponto negativo. Gostei que tenha sido assim, foi convincente!
Eu recomendo e muito esse livro e pretendo ler outros dessa autora.