F

1 de abril de 2018

Não Durma - Michelle Harrison


Quando os mortos não dormem, os vivos têm medo de adormecer... 

Elliott, um garoto de 17 anos, não dorme bem desde o acidente que quase o matou. Às vezes, ele fica em um estágio meio adormecido, meio acordado e se vê cercado por silhuetas em movimento. Em outras, é ele quem se move, enquanto seu corpo permanece inerte na cama. Médicos dizem que a paralisia do sono e as experiências extracorpóreas são inofensivas - mas, para Elliott, elas são assustadoras.

Determinado a descobrir o que está acontecendo, ele consegue um emprego em um museu conhecido por ser mal-assombrado. É onde conhece a enigmática Ophelia. À medida que os dois ficam mais próximos, Elliott se torna o foco de ainda mais atenção dos mortos. Certa noite, ao retornar de uma experiência extracorpórea, ele não encontra o próprio corpo. Alguma coisa está o ocupando, algo morto que quer viver de novo - e quer Ophelia também...

RESENHA:
31/03/2018

Elliot é um jovem de 17 anos saudável e com uma rotina semelhante à qualquer outro de sua idade. Porém, após sofrer um acidente grave, ele viverá uma experiência terrível que vai mudar completamente sua vida.
O jovem vai desenvolver a paralisia do sono, um estado de semiconsciência em que preso no corpo, consegue ver espíritos à sua volta.
Devido à essa sensibilidade, ele é atormentado pela presença de uma jovem que se matou no apartamento onde ele vive com o pai e ela só aparece quando ele adormece.
Dividido entre o pânico e a vontade de saber mais sobre sua condição, ele consegue um emprego como guia num lugar mal assombrado. Mal sabe ele que isso irá desencadear uma séries de manifestações que colocarão sua vida em risco.

A narrativa é sob o ponto de vista do Elliot que vai contar detalhadamente sua rotina, suas descobertas, experiências e sua aproximação com a jovem Ophelia.
Eu adorei esse livro, é bem diferente do que estou acostumada a ler, geralmente prefiro assistir filmes desse gênero, mas a narrativa é contagiante e é praticamente impossível abandonar a leitura.
Os passeios pelo parque narrado em primeira pessoa, dão mais veracidade às cenas e deixa o leitor mais próximo das experiências vividas pelo personagem.
Elliot vai sofrer muito em silêncio, até por que vai ser muito difícil encontrar alguém que acredite nele.
A estória é um pouco assustadora, não considero um terror, mas prende sua atenção logo nas primeiras linhas pois a trama é muito envolvente. Elliot faz com que a gente sinta na pele o terror vivido por ele e acabe torcendo e ansiando por mais descobertas.

E o bacana dessa estória é que a autora se baseou em experiências reais vividas por um parente para criar a história do jovem Elliot. Claro que ela adaptou as situações para dar vida ao personagem, mas são eventos que acontecem de verdade.
Enfim, é uma leitura que recomendo demais para os amantes do gênero. Uma pena que não é tão divulgado assim.
Boa leitura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário