24 de agosto de 2017

Mr. Mercedes - Stephen King - Bill Hodges # 1


Nas frigidas madrugadas, em uma angustiante cidade do Centro-Oeste, centenas de pessoas desempregadas estão na fila para uma vaga numa feira de empregos. Sem qualquer aviso um motorista solitário irrompe no meio da multidão em um Mercedes roubado, atropelando os inocentes, dando ré e voltando a atropelá-los. Oito pessoas são mortas, quinze feridos.
Em outra parte da cidade, meses mais tarde, um policial aposentado chamado Bill Hodges é ainda assombrado por um crime sem solução. Quando ele recebe uma carta enlouquecida de alguém que se auto-identifica como privilegiado e ameaça um ataque ainda mais diabólico, Hodges acorda de sua deprimente e vaga aposentadoria, empenhado em evitar outra tragédia.
Brady Hartfield vive com sua mãe alcoólatra na casa onde ele nasceu. Ele adorou a sensação de morte sob as rodas da Mercedes, e ele quer aquela corrida de novo. Apenas Bill Hodges, com um par de aliados altamente improváveis, pode prender o assassino antes que ele ataque novamente. E eles não têm tempo a perder, porque na próxima missão de Brady, se for bem sucedido, vai matar ou mutilar milhares.
Mr. Mercedes é uma guerra entre o bem e o mau, do mestre do suspense, cuja visão sobre a mente deste obcecado assassino insano é arrepiante e inesquecível.
RESENHA:
24/08/2017

Não sou leitora assídua de Stephen King, apesar de já ter assistido várias adaptações dele e lido um conto e outro, mas como não sou fã de terror sempre fui deixando os livros dele em segundo plano.
Mr. Mercedes é o primeiro livro da trilogia Bill Hodges, que é o protagonista, e o que me fez interessar pela estória foi o gênero ser thriller policial, que é um dos meus gêneros favoritos e o fato do livro virar série de TV me fez adiantá-lo.
O produtor da série é o mesmo de Big Little Lies (Pequenas Grandes Mentiras) que foi distribuída em 7 episódios pela HBO.

Bill Hodges é um policial recém aposentado que passa os dias comendo em frente à TV sem nenhuma perspectiva de vida. Apesar de ter construído uma excelente carreira na polícia, sua maior frustração foi não ter pego o Assassino da Mercedes, nome dado ao maníaco que atropelou e matou várias pessoas numa fila de emprego e deixou dezenas de outros feridos.
Até que um dia o assassino envia uma carta à ele, se gabando do seu sucesso em ter escapado ileso e provocando-o com o intuito de levar o ex policial ao suicídio. Assim, ele envia um nome de usuário e senha em um site de troca de mensagens para o caso de Bill querer entrar em contato com ele.
O que o assassino não contava era que ele estava dando um novo sentido aos dias monótonos do aposentado e uma chance de enfim capturá-lo.
Bill começa uma troca de mensagens provocativas com o assassino com o intuito de fazê-lo cometer erros que o levassem à entregar sua verdadeira identidade.
Claro que o ex detetive fará isso em segredo e por conta própria, sem ajuda da polícia, mas ele vai contar com ajuda de outras pessoas, como Jeremy, seu faz tudo de 17 anos.

A narrativa muda do ponto de vista de Bill Hodges para a narrativa do assassino, que o autor já nos apresenta de antemão, então sua identidade não será nenhum segredo para o leitor.
Eu gostei por que acompanhamos os passos dele e vamos conhecendo sua estória de vida que mostra o seu comportamento perturbado desde ainda bem menino.
O autor já nos antecede os passos do assassino mas esconde os detalhes de como ele irá realizar aquilo.
O começo foi bem descritivo com uma narrativa um pouco parada, mas após algumas páginas ele desenvolve um ritmo acelerado e você não consegue largar o livro.
As mortes narradas são extremamente bem escritas, você visualiza a cena! O nível de loucura e maldade do assassino é palpável, como se ele fosse real mesmo.

Eu só não dei 5 estrelas por que na minha opinião achei que o ex detetive não teve muitas dificuldades para conseguir pistas e chegar até o assassino, coisas que enquanto ele foi da polícia pareciam impossíveis de serem encontradas. Foram meio que caindo no colo dele e com ajuda de pessoas sem nenhuma experiência em investigação e o final também faltou um "algo" que eu esperei e não veio (talvez esteja na continuação da série). 
Posso ter criado expectativas demais, pensei muito em como ele resolveria aquele momento do ápice final e achei bem morno em relação ao ritmo eletrizante que vinha tomando conta da estória. Mas isso é minha impressão ;-)
Ainda sim é um ótimo livro, tem pegadas de humor, uma pitada de romance e deixa um gancho para a continuação da série. 
Então sim, eu recomendo a leitura para os fãs de thrillers policiais.

Nota: 4, 5 ★

Nenhum comentário:

Postar um comentário