15 de fevereiro de 2016

Colega de quarto - Victor Bonini


Eric Schatz, carioca que se mudou para São Paulo por conta do curso universitário, começa a perceber indícios de que há mais alguém frequentando o seu apartamento.
Primeiro, um par de chinelos.
Então, uma outra escova de dentes. Um micro-ondas que é ligado sozinho durante a noite, barulhos estranhos a qualquer hora e luzes que se apagam de modo misterioso.
Até que, em determinada noite, Eric enxerga o vulto do colega de quarto entrar em seu apartamento pela porta da frente.
Desesperado, o rapaz vai atrás de um detetive particular, mas parece ser tarde demais. Em menos de 24 horas, tudo acontece de modo acelerado e depois de uma ligação desesperada, cortada abruptamente, Eric despenca da janela do seu apartamento.

Em seu livro de estreia, o autor nos apresenta uma história urbana de tirar o fôlego. Um mistério que passa por uma relação familiar complicada, suspeitas por todos os lados, e camadas e camadas de culpados. Há alguém inocente?

RESENHA:
15/O2/16

Colega de quarto é o primeiro livro escrito por Victor Bonini.
Trata-se de um suspense policial que conta a estória de Eric, um rapaz rico e solteiro que mora sozinho num apartamento de luxo.
De repente ele se vê assombrado por alguns fatos estranhos que estão acontecendo durante à noite: O microondas liga sozinho, um par de chinelos que aparece no quarto de hóspedes, uma escova de dentes na pia.... esses acontecimentos estão tirando a paz do garoto e atormentando-o com frequência.
Eric acha que ele está ficando louco e ninguém acredita nele, assim, depois de procurar um psicólogo, ele vai atrás de um investigador particular e desabafa sobre o que o assombra. 
O investigador dr. Conrado, que é um advogado, não consegue compreender muito bem o que se passa com o Eric, e antes mesmo de poder conversar direito o rapaz vai embora, tão de repente como chegou.
Na madrugada seguinte, dr. Conrado recebe uma ligação do rapaz que está trancado no banheiro e afirma com desespero que ele não está sozinho no apartamento. 
Nas primeiras horas da manhã, o investigador recebe a visita do policial e amigo Wilson, que fala sobre a morte do rapaz, aparentemente suicídio.
Dr. Conrado então passa a investigar por conta própria a morte de Eric, pois ele se sente culpado de não tê-lo ajudado e tem fortes motivos para acreditar que não se trata de suicídio.
Ele vai atrás de todos que possam estar envolvido nisso, desde os amigos até os próprios pais e não vai deixar passar nenhum detalhe.
Realmente existiu um colega de quarto ou foi tudo fruto da imaginação e desequilíbrio de Eric?

Achei um livro muito bem escrito. Em nenhum momento você sente necessidade de voltar algumas páginas por que se perdeu na estória. O autor contou tudo de uma maneira muito clara e detalhista.
Senti como se estivesse assistindo à um dos seriados policiais que frequentemente acompanho, com alguns mistérios e muita investigação.
Eu acertei o(a) culpado(a) mas não os motivos.
No final o autor deu um desfecho muito bem explicado, sem pontas soltas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário